Israel

  • Israel é um País do Oriente Médio na região estreita que liga a África à Ásia. O Estado de Israel ocupa a maioria da região conhecida como a terra de Israel.

    Israel é um País desenvolvido, localizado em uma região geograficamente e climaticamente diversificada. Existem montanhas cobertas de neve no norte ao lado de áreas ermas ao sul, áreas desoladas ao lado de cidades modernas e vibrantes. O mosaico étnico e religioso de Israel é rico e fascinante, e possui numerosas instituições culturais e centros de entretenimento. Graças à sua rica história e à santidade das três religiões monoteístas, existem muitos locais antigos e sagrados. Durante a maior parte do ano, o clima de Israel é agradável, e você pode excursionar por todo o País em qualquer época. Contudo, é recomendável que se visite o país durante o outono e a primavera (Setembro a Novembro, Abril a Junho), quando a temperatura é bastante agradável.

    Cartão de Identidade

    Nome Oficial: Estado de Israel
    Forma de Governo: Democracia Parlamentarista
    Capital: Jerusalém
    Área: 21.643 quilômetros quadrados
    População: 7 milhões de pessoas
    Distribuição Religiosa: 76,5% Judeus, 16% Muçulmanos, 2% Cristãos, 1,5% Druzos, 4% sem classificação religiosa
    Idiomas Oficiais: Hebraico, Árabe
    Moeda Corrente: Novo Shekel
    Renda per capita por Pessoa: 22,944 (calculado de acordo com o poder de compra)
    Qualidade de Vida: 22º lugar no mundo
    Código de Ligações Internacionais: 972
    Sufixo para Internet: il

  • A bandeira do Estado de Israel é composta de duas faixas azuis em um fundo branco com a Estrela de David (hexagrama) entre elas.

    O Hino Nacional do Estado de Israel é o Há-Tikva (“A Esperança”). A letra foi escrita pelo poeta Naphtali Herz Imber (1856–1909) e a melodia é uma canção popular Romena citada pelo compositor Tcheco Bedrich em seu ciclo “Minha Terra Natal”. O Há-Tikva foi escolhido como hino do movimento sionista em 1933 e com a fundação do Estado de Israel, foi aceito como Hino Nacional. Entretanto, a música só foi oficialmente reconhecida pelo Knesset como seu Hino Nacional em 2004.

    menoraO emblema do Estado de Israel é a Menorá de sete braços (candelabro) com ramos de oliveira em ambos os lados e com o nome Israel aparecendo abaixo. A idéia da Menorá veio de uma gravura no Arco de Titus em Roma, representando a marcha da vitória do comandante Romano Titus, após ter reprimido a Grande Revolta Judaica e destruído o Templo no ano 70. A idéia dos ramos de oliveira é uma profecia do Profeta Zacharias. A Menorá do Templo em Jerusalém gravada no Arco de Titus não simboliza apenas o passado ilustre do povo de Israel, mas também sua derrota e o começo do seu exílio. Portanto, a escolha dessa Menorá específica não une somente o novo Estado a seu passado nobre – mas por assim dizer também trouxe a Menorá de volta de seu longo exílio, mesmo que indiretamente, simbolizando o fim da Diáspora.

  • O Estado de Israel é uma democracia parlamentarista, chefiado pelo presidente, cujo papel é essencialmente simbólico e representativo. O País é, na verdade, dirigido por três autoridades: a autoridade legislativa (o Knesset), a autoridade executiva (o governo) e o judiciário.

    A autoridade legislativa em Israel é o Knesset (nome do parlamento) que contém 120 membros escolhidos em eleições gerais uma vez a cada quatro anos. O Knesset decreta leis, toma decisões políticas, escolhe o presidente e o governo, e supervisiona as atividades governamentais.

    A autoridade executiva em Israel é o governo. É responsável por executar as leis decretadas pelo Knesset e pela própria administração do Estado. O Primeiro Ministro é um membro do Knesset que o presidente incumbiu de constituir o governo, e que formou um governo que ganhou a confiança do Knesset. Desde a sua fundação, nenhum único partido teve o privilégio de maioria absoluta no Knesset. Por essa razão, todos os governos de Israel sempre tiveram coalisão governamental.

    A terceira autoridade é o judiciário, que é responsável pela manutenção das leis no Estado. Como líder do sistema legal está a Suprema Corte. Ela atende apelos contra julgamentos de cortes menores e também atua como Alta Corte de Justiça para petições submetidas por civis contra as autoridades do Estado. Além dos sistemas legais, comum ou civil, Israel possui cortes onde a lei é outorgada por uma única autoridade em problemas específicos. Entre estas cortes estão: Tribunal do Trabalho, Tribunal Militar, e os tribunais religiosos (Judaico, Muçulmano, Cristão e Druzo), que lidam com temas como casamentos e divórcios.

  • A economia Israelense é uma história de sucesso. Embora possua muito poucas reservas naturais, e apesar das guerras e das ondas de imigração que sobrecarregaram o país, Israel situa-se entre os países mais prósperos do mundo. Duas das razões para o enorme sucesso econômico de Israel são a ajuda externa totalizando algo em torno de 100 bilhões de dólares até agora e mão de obra qualificada.

    Desde a sua fundação, as exportações cresceram em torno de 30 milhões de dólares ao ano para mais de 30 bilhões de dólares ao ano. Ao longo deste período, muitas mudanças ocorreram na economia Israelense. No início, as exportações mais importantes do Estado eram as frutas cítricas, assim como diamantes processados e aguns produtos industrializados. Por outro lado, nos dias de hoje, a maioria das exportações consiste em produtos de alta tecnologia de diversas áreas como: eletrônicos, softwares, hardwares, ópticos, comunicações e instrumentação médica.

    A ideologia econômica de Israel também mudou ao longo do tempo. No início, a econômia era proeminentemente centralista, caracterizada por muito envolvimento do Estado. Após a mudança da política em 1977, a ideologia econômica mudou e desde a década de 1980, os governantes de Israel adotaram a política de economia liberal.

    O PIB (Produto Interno Bruto) de Israel é algo em torno de 154 bilhões de dólares (51º lugar no mundo), enquanto a renda per capita é algo em torno de 22,944 dólares (44º lugar no mundo). Suas exportações somam em torno de 42 bilhões dólares ao ano, enquanto suas importações somam algo em torno de 45 bilhões de dólares ao ano. Sua taxa de crescimento anual gira em torno de 5%, a taxa de inflação é de mais ou menos 2% e a taxa de desemprego é de 8,9%. O setor predominante da economia Israelense é a alta tecnologia, que se tornou a força motriz por trás do crescimento da economia na década de 1990. Outros setores em destaque na economia Israelense são: farmacêutico, químico, turismo, indústria militar, indústria de metal, e polimento de diamantes.